05 dezembro, 2011

Dia 5 - O Expresso Polar

Título original: The Polar Express
Lançamento: 2004 (EUA)
Direção: Robert Zemeckis
Atores: Tom Hanks, Daryl Sabara, Eddie Deezen, Nona m. Gaye
Duração: 100 min
Gênero: Infantil Família inteira

Um garoto, após descobrir que o papai Noel “não existe” ao encontrar a fantasia do famoso personagem nas coisas de seu pai, passa a encarar o natal com desconfiança e tristeza.  É, dessa forma, com  grande surpresa que se depara diante do gigantesco trem negro que aparece em frente a sua casa, após todos já terem ido dormir, com o destino ao Pólo Norte; mais especificamente, a casa do Papai Noel.

O Condutor (ou guia espiritual hehe)
Curioso e temeroso ao mesmo tempo, o menino recebe um ticket e entra no trem, instigado pelo condutor – Parecido com o “Dumbledore” da história (apesar de ser um pouco mais burocrático), ou seja, cerveja aquele que indica o caminho que os protagonistas deverão seguir  -.  


O Garoto
Lá, encontra diversas crianças; dessas terão destaque uma garota simpática e amiga, que tenta inventar papo logo quando ele entra no trem 
(AMO ELA) , e um outro garoto, Billy, – que embarca logo depois do principal - , um pouco mais jovem, tímido e provindo de uma classe menos favorecida, que, pelas dificuldades que 

A Garota
a vida lhe impôs, também lhe custa acreditar; além de problemas para se misturar com os demais (FOFO ao extremooooooo).  Por isso, Billy se dirige a um vagão diferente dos demais.

(Vamos chamar o menino principal de o Garoto e a menina de a Garota, ou a Menina)

Billy, o fofo
A Menina, com pena de deixar Billy sozinho em um vagão vazio, utilizando-se do pretexto de que este não havia tomado o chocolate quente que fora distribuído no primeiro vagão, segue com o condutor para oferecê-lo ao mais novo passageiro.  No entanto, ao fazer isso, esquece seu próprio ticket em seu assento e, o Garoto, ao tentar devolvê-lo a Menina, deixa este voar para fora do trem; o que só significa que a garota seria obrigada a sair d, uma vez que os tickets são intransferíveis e insubstituíveis (olha a burocracia do condutor aí..).

O Garoto, sentindo-se irremediavelmente culpado, acaba por encontrar o bilhete que, por um “acaso” acabou voltando ao trem e vai atrás da Menina e do condutor, pedindo indicação a Billy.  Ao perceber que os dois subiram no trem e que seguem por cima deste, o Garoto faz o mesmo e os segue para ajudar sua amiga.

O homem de cima do trem
Assim, este conhecerá um homem que vive em cima do trem, sem dúvida um dos personagens mais interessantes do filme.   O homem, livre, pega carona quando quer e desaparece quando bem entende.  Um pouco sombrio, desperta várias diferentes emoções no telespectador.

E essa será a primeira das várias aventuras fantásticas que juntará o trio nessa mágica jornada.  Os três passarão por diversos incidentes e problemas até atingirem o seu destino e, inclusive na cidade do papai Noel, terão sua cota de encrencas. A amizade que se desenvolverá entre os três, ajudará cada um deles a transformarem o que precisa ser mudado neles mesmos, em uma jornada (em nome da Literatura) de autoconhecimento.

Ele BRILHA *-*
Outros personagens importantes são: um garotinho de óculos metido a sabe-tudo muuuuito chatinho e o próprio Papai Noel, que é o máximo, gente.  Tudo o que eu imaginaria ser o velhinho.

Acho que não tem como descrever esse filme como algo além de uma linda fábula natalina, que, apesar de suas partes mais obscuras (como a cena com os bonecos, que me dá medinho) é ótima tanto para as crianças, como para os adultos.

E vocês querem saber uma das coisas mais geniais desse filme?

Nenhum dos dois personagens principais tem nome. 

Isso mesmo, nenhum deles.  Porque eles podem ser e são cada um de nós.; assim como uma fábula, nós somos os reais protagonistas. 

E como toda boa fábula a moral é linda e muito bem feita -destaque para a passagem dos bilhetes - .

Além disso, olha que legal: essa foi a primeira vez (no cinema) que os atores filmaram todas as cenas sob fundo azul e foram, em seguida, digitalizados; formando uma animação. Essa tecnologia, recente e fodástica resultou em 40 dias de filmagem com um custo bem baratinho de 300 milhões de dólares.  Mas poxa, valeu a pena.

No entanto, não confunda, o que realmente deixou o filme mágico foi a direção e o roteiro.  A tecnologia ajudou.

Esse é um filme para todos os que já sentiram e entendem a magia e a beleza do Natal; não se pode, portanto, avaliar o filme com os olhos de um adulto; mas sim voltar a ser criança ( O que não foi muito difícil pra mim, né? Quer dizer, pra essas coisas as vezes me acho mais criança que a própria geração infantil atual ..).

Ainda desse tema, tenho que comentar sobre a questão presente neste e em tantos outros filmes mais que é a existência do papai Noel.  Eu demorei muito tempo para deixar de esperar em um bom velhinho que distribuía para o mundo inteiro presentes e, mesmo assim, meus pais tiveram que me contar.

Contudo, creio que nunca deixei de acreditar no espírito do Natal que, talvez, quem sabe, damos o nome concreto de “Papai Noel”.  Para mim ele não é mais uma forma, mas um ar, um cheiro, um gosto, uma boa vontade, que habita o coração daqueles que usam do natal para amar e doar um pouco de você.

Filosofando ainda mais, acredito que algumas pessoas fazem de tudo para se tornarem imunes a essa paz natalina.  A chegada do menino Jesus aqui na Terra e tudo o que isso representa (ou simplesmente a beleza de uma época que prega a afeição ao próximo) deveriam transmitir às pessoas um carinho e um amor de família que uniria todas as classes e todos os povos como irmãos, mas o que estamos fazendo?  Vivemos a correria das compras dos presentes e da celebração em si; antes de lembrar devidamente porque deveríamos dizer “Feliz Natal!”.

E essa não é uma celebração só para os cristãos.  Por quê? Porque o natal indica um período no qual as pessoas antes de pensarem em si, devem pensar nos outros – assim como fez Jesus, se o leitor acredita -, independente da própria religião.   

Tom Hanks
Eu acho que é essa um pouco da magia que o filme passa, a ideia de estar sempre atento para ver se “o sino toca”, ou seja, de olho na esperança e na felicidade de se acreditar no Natal.

Saindo das filosofias, (eu sempre acabo levando as resenhas de filmes lindos e fofos pro lado sentimental, droga) não posso fazer uma resenha sem explicitar como a atuação do Tom Hanks é ótima,como (sente só)  Condutor, Vagabundo, Papai Noel, pai do Garoto e o próprio Garoto mais velho, quanto como condutor. É aí que a gente vê como o cara é versátil, viu!

As atuações de Daryl Sabara (o Garoto), Nona M. Gaye (a Garota) e Jimmy Bennett (Billy) são boas também. 

E tem uma música desse filme cantada por Nona que é LINDA. Quando eu era menor decorei ela toda com a Luisa (uma das blogueiras), e a gente cantava sempre, inteirinha.
Vou deixar ela aqui, porque até hoje eu acho ela fofa demais! 

(Em inglês - essa que eu tinha decorado)

A minha parte preferida era a da garota, claro :)


 (E agora em português)

Vale a pena lembrar que o filme recebeu três indicações ao Oscar por melhor som, melhor edição de som e melhor música original, então não preciso dizer que as músicas desse filme (como "Believe" também, por exemplo) são muito legais, né?

Para terminar dois traileres (não achei legendado, galera...):



Então é isso, gente! Bom início de mês natalino para todos!
Bjkss Pimpa ;)

3 comentários:

  1. Às vezes o que existe de mais real no mundo é o que não podemos ver - O Expresso Polar

    ResponderExcluir
  2. Amei esse filme. Eu assisti num dia que não estava me sentindo muito bem e valeu como uma bom remédio. Gostei muito mesmo. Sua resenha está ótima.

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho 18 anos e quando assisti esse filme me senti uma criança de 5 :D esse filme é muito magico lindo! a trilha sonora então ...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...