13 abril, 2012

Perguntas Random para... Liége Toledo (aka Astreya) + Nova Parceiria






Formada em Letras na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e sôfrega mestranda da mesma instituição. É professora mas gosta mesmo é de escrever (não que uma coisa exclua a outra, muito pelo contrário) e de jogar RPG. Casada com o amor de sua vida, possui uma filhota canina e outros dois peixinhos. Mais conhecida por aí como Astreya . Para quem ficou curioso com o livro e quer mais informações sobre ele, é só entrar em contato:




1) Quando você descobriu que queria ser escritora?

Eu descobri que queria contar histórias quando eu era bem pequena. Eu gostava de fazer rabiscos e desenhar “quadrinhos” para as pessoas lerem, por mais que elas não entendessem nada! Na verdade, eu sempre tive a necessidade de escrever. Mas foi quando eu tinha 15 anos e comecei a jogar RPG que eu esbocei uma história na minha cabeça e comecei a fazer o meu livro. Escrever para mim é um prazer enorme, eu acredito que jamais conseguirei parar.

2) Como é o processo de escrita? Você escreve só no seu tempo livre ou é
escritora em tempo integral?

Eu escrevo no meu tempo livre, mas confesso que mesmo quando estou ocupada, se estou no computador, eu dou uma escapadinha para escrever um pouco. Mas eu gostaria muito de ser escritora em tempo integral! Não tenho nenhum processo especial, eu apenas sento com meu notebook no colo e começo. Por mais que se diga que não se deve fazer isso, eu deixo as idéias fluírem; sou péssima em fazer esqueletos da trama ou delimitar os capítulos previamente. Eu simplesmente escrevo, e depois volto várias vezes ao trecho e o corrijo, o aperfeiçôo. A trama fica na minha cabeça. Eu sei o que quero no começo, no meio e no fim, mas o recheio, os detalhes, vem na hora da escrita.

3) Como você faz para superar os bloqueios criativos?

Tento fazer outras atividades, principalmente aquelas que relaxem minha cabeça e agucem a criatividade. Assisto filmes, ouço músicas, leio outras histórias... isso ajuda demais! Mas confesso que o principal remédio para bloqueio criativo que eu tenho é conversar com o meu marido, hehe. Ele também escreve e mestra aventuras de RPG de fantasia medieval, e sempre, sempre me ajuda a clarear minhas idéias. Quando eu estou empacada, ele geralmente vem com sugestões que acabam me ajudando muito. Compartilhar a história e suas dúvidas em relação a ela é muito bom para tirar o bloqueio criativo. 

4) Você tem interesse em escreve um livro fora da temática élfica?

Fora da temática élfica sim, mas fora da fantasia de modo geral, eu acho que não. Afinal, essa é minha paixão. Mas nunca se sabe, né...

5) Como se sente ao terminar de escrever um livro? E a sensação de vê-lo ser
publicado?

Eu me senti muito, muito feliz quando terminei de escrever o meu primeiro livro, pois achava que nunca conseguiria termina-lo (eu demorei oito anos para concluir o primeiro). Mas uma coisa que ainda me acompanha é a sensação eterna de que poderia ter feito melhor, de que algumas cenas eu poderia ter trabalhado mais...enfim... aprendemos a escrever escrevendo, e eu não pretendo abandonar essa minha paixão.

Eu publiquei o livro impresso pelo Clube de Autores, e quando ele chegou aqui em casa a sensação foi muito boa. Eu fiquei verdadeiramente emocionada de ver algo que eu fiz se transformar em um livro de verdade, ainda mais com as ilustrações lindas que a Angela Takagui fez para mim e a diagramação do André Bacchi. Foi realmente a realização de um sonho antigo.

6) Quais foram as dificuldades na hora de publicar?

Posso dizer de verdade? Publicar aqui no Brasil como autora iniciante é complicado. Eu entendo e respeito as dificuldades das editoras, mas quando tive a coragem de mandar meus originais para algumas delas, me assustei com o alto investimento financeiro que teria de fazer para ver minha obra publicada. Por isso acabei optando pelo Clube de Autores e pela venda do e-book pela Asgard Legends, já que no momento não tenho condições de fazer esse investimento, e nos dois casos pude publicar sem custo nenhum.

7) Com qual personagem de série/ livro/filme você se identifica mais? E qual
personagem você trancaria no seu armário para ter só pra você?

Nossa, essa é difícil! Eu gosto de muitos personagens de muitas histórias. Eu tenho dificuldade para me “identificar” com as personagens que gosto, porque eu penso “não sou tão legal assim”, hahaha. Mas uma personagem que eu gosto muito é a Yvaine de Stardust.

Eu acho que não trancaria nenhum personagem no meu armário! Eu gosto deles na história que é deles. Eu trancaria sim um mundo ficcional no meu armário, para entrar lá quando quisesse – como se fosse o armário de Nárnia. Só que eu iria querer ter um armário para a Terra Média, para morar em Valfenda ou Rohan.

8) Que tipo de música você gosta?

Eu gosto muito de heavy metal (principalmente metal melódico), música clássica e trilhas sonoras instrumentais. Eu geralmente gosto de músicas bem melodiosas, por isso esses gêneros me agradam tanto!

9) Qual gênero de filme é o seu favorito?

Eu gosto muito de filmes de fantasia (que novidade...), de aventura, filmes de época... por mais que eu goste de romances, geralmente acho os filmes de comédia romântica um pouco caricatos, não consigo gostar muito.

10)Quais obras ou autores mais te influenciam?

Sem dúvida J.R.R. Tolkien é uma grande influência para mim. O Senhor dos Anéis é meu livro favorito, e foi com ele que descobri ainda mais minha paixão pela fantasia. Depois que li O Silmarillion, o mundo que Tolkien criou passou a me fascinar ainda mais. Mas não é só ele que me influencia: eu também sou uma grande admiradora da J.K. Rowling e da Jane Austen.

11)Quantos livros você tem na sua casa? Você sofre de culpa de consumidor?

Como eu casei recentemente e me mudei, a gente não trouxe todos os livros para a casa nova. Acho que aqui em casa devemos ter cerca de vinte livros. Bom, confesso que toda vez que eu compro alguma coisa mais “supérflua” eu fico pensando que gastei demais, seja um livro ou uma roupa a mais, então acho que sofro de culpa de consumidor sim, hahaha! Confesso ser um pouco mão de vaca.

12)Você sabe cozinhar ou é daquelas que sobrevivem a base de pizza, miojo
ou qualquer comida que entregue em casa?

Hahaha, eu sei cozinhar sim, mas só o bem básico. Arroz, carne, salada, e olha lá. Mas conta a lenda que todo mundo adora meu brigadeiro =).

13)De que maneiras você divulgou o seu livro depois de publicado?

Fiz um blog, o que me ajudou a entrar em contato com pessoas maravilhosas que leram meu livro e também com a blogosfera literária. A partir daí o livro despertou algum interesse, fiz parcerias e O Enigma da Lua já ganhou duas resenhas, para minha alegria. Também conheci o skoob e fiz uma página para o livro lá. Ou seja, me utilizei basicamente das ferramentas que a internet possibilita, e tem sido muito recompensador.   

14)Respondendo aquela pergunta clichê básica: Afinal, os jovens de hoje em
dia estão lendo mais ou menos?

Isso é uma coisa que me intriga. Ao ver tantos blog literários e tanta gente nova interessada no mundo dos livros pela blogosfera afora, eu fico pensando que talvez os jovens estejam lendo mais. Fora desse âmbito, no entanto, as coisas parecem diferentes. Sou professora, e todas as vezes que tive contato com turmas mais amplas em escolas públicas e particulares, eu senti um desinteresse geral por parte dos alunos na palavra escrita... mas quem sabe as coisas estejam mudando. Hoje temos mais acesso a livros de temáticas variadas, que podem dialogar melhor com esse público mais jovem.  

15) Qual foi a coisa mais Random que aconteceu na sua vida?

Eu acho que foi ter conhecido meu marido. Dependemos de vários fatores aleatórios. Eu tinha acabado de ler O Senhor dos Anéis e estava encantada, e nessa época um amigo meu, que era meu vizinho, me convidou para jogar RPG (role-playing game). No grupo dele estava o meu marido. O engraçado é que descobrimos que havíamos morado na mesma rua por anos e nunca havíamos nos visto. Quando ele finalmente se mudou para outra rua, nós nos conhecemos por meio do RPG, e a minha convivência com esse grupo e nossas aventuras me fizeram escrever o meu livro. Ainda bem que eu aceitei o convite do meu vizinho... como eu ia imaginar que a partir disso iria realizar meus dois maiores sonhos: encontrar a pessoa que eu amo e escrever um livro! 

Booktrailer:

É só isso por hoje gente!
Bjuos,

Ps: Estou começando a me sentir meio maluca por causa dessas autoras que não tracariam nenhum personagem no armário... Porque eu trancaria o Mister Darcy no meu armário sem pensar duas vezes!!!!!

7 comentários:

  1. Obrigada Fernando pelo espaço e por ter publicado a entrevista! Eu adorei respondê-la e convido todo mundo para conhecer o meu blog: www.oenigmadalua.blogspot.com.

    Hahaha, Fernanda, não se sinta maluca. Eu tenho certeza que a minha irmã trancaria o Mr. Darcy no armário também, hehe. É que eu já achei o meu *fica vermelha*. Mas esse é um dos meus personagens masculinos favorito, você tem um ótimo gosto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Obrigada Fernando" não, né? *Fernanda*!

      Excluir
  2. Parabéns pela entrevista, nobre Astreya!

    E parabéns a ti também, jovem Fernanda, por este belo espaço!

    ResponderExcluir
  3. Amanda Silversong14 de abril de 2012 05:27

    Hummmmm Brigadeiro! Sou louca por brigadeiro!

    A-ahm, voltando ao assunto...

    D+ a entrevista, Liege, gostei muito mesmo! me identifico com você em um monte de coisas!

    Aproveitando: Pessoal, o Enigma da Lua é um livro show de bola!
    COOOOOOOMMMMPREMMMMM!!!! ^^

    ResponderExcluir
  4. \o/ Show de bola a entrevista. Já li o livro dela e tô aqui morrendo de curiosidade pelo segundo. Go, go, go Enigma da Lua!!

    ResponderExcluir
  5. Bela entrevista. O enigma da lua é um excelente livro. Altamente recomendado.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela nova parceria!
    A Liége é uma talentosa escritora (além de fazer deliciosos brigadeiros!), adorei o primeiro livro e já estou na fila aguardando a segunda parte =)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...