26 janeiro, 2012

Resenha: “O Príncipe Feliz e outros contos” de Oscar Wilde


Autor: Oscar Wilde 
Tradução e Adaptação: Paulo Mendes Campos
ISBN: 8500017619
Ano: 2005
Número de páginas: 120
Sinopse: "O Príncipe Feliz e outros Contos" relembram virtudes que não envelhecem e nem saem de moda, como a amizade e a humanidade, e mostram os males do egoísmo - talvez a maior preocupação do autor nesses contos."

Sério mesmo?  Não gostei.

Um livro de parábolas de Oscar Wilde me pareceu uma ideia interessante.   Wilde, ao mesmo tempo que é o autor do complexo e obscuro  (+ genial)  “O Retrato de Dorian Gray” também é do famoso (e ótimo) conto “O Fantasma de Canterville”, por exemplo, que, com uma simplicidade infantil apresenta uma linda história, repleta de reflexões humanas.  Esperava, portanto, com esse livro de fábulas algo mais no estilo de “O Fantasma de Canterville”, mas bem... estava enganada.

A tradução e adaptação de Paulo Mendes, no caso, deve ter sido a responsável pela simplicidade da linguagem, contudo a simplicidade e pureza das imagens, como a de seres mágicos e animais falantes provém do original e até aí, ótimo; o que eu esperava.  O problema é que Oscar Wilde devia estar possesso com alguma desgraça da vida e (FATO) estava completamente desacreditado da humanidade, então "simplesmente" resolveu escrever o livro com o mesmo tom sombrio de “O Retrato de Dorian Gray”.

Ou seja, foi uma junção do estilo dos dois famosos livro e conto, em minha opinião, mais a adaptação para menores de Paulo, e... o que deu?  Um livro gótico pra crianças.

A moral de TODOS os contos é “ A vida é uma merd*”, imitando a definição da Fê (Fernanda) .  E não tem outra expressão que possa dizer isso, por mais que eu relute a postar o palavrão.

Três dos nove contos têm finais, não diria alegres, mas bonitinhos: o próprio “O Príncipe Feliz”, “O Gigante Egoísta” e “O Reizinho”...  Terminam até um pouco próximos de feliz (veja bem, próximo e não feliz), o resto deu tudo errado.   Era bizarro porque, enquanto eu lia, se as coisas começavam a ir bem eu já tentava adivinhar como ele ia ferrar com a vida do personagem. O “O menino-estrela” é o cúmulo!  Ele estraga o final feliz do cara nas duas últimas frases.  Por que, cara? Por quê???  “O Rouxinol e a rosa” e “O aniversário da infanta” (que aparecem seguidos, diga-se de passagem) são terríveis!  Eu imagino uma criança tentando ler esse livro, pegando trauma eterno e chorando pelo resto do mês.

Mas tenho sim um ponto positivo a ressaltar sobre o livro: as suas críticas.  Por mais negativas que as reflexões fossem, ou por mais sombrios que os comentários e previsões de Oscar se apresentassem, as críticas à sociedade realizadas ao longo do livro são, não só pertinentes, como espertas e válidas até hoje.  Em outras palavras, bem feitas.  

E antes que reclamem, é claro que a ironia e o sarcasmo característicos de Oscar, uma constante nesse livro, constituem algo interessante para se avaliar e pensar nas desgraças e injustiças do mundo. Só acho que a tentativa de passar isso para um público infantil ou infanto-juvenil não foi muito acertada.

Agora a lista de todos os contos que aparecem no livro em ordem:

O Príncipe Feliz: Bonito, mas triste.
O Gigante Egoísta: Bonito, mas triste (2), porém ainda assim foi meu favorito! Desse eu gostei.
O Amigo Fiel: Graças a Deus eu não tenho um amigo assim.
Um Foguete extraordinário: Indiferente.
O Rouxinol e a Rosa: O Rouxinol é muito fofo e o conto impactante; o final é uma droga.
O Reizinho: Esse foi o que teve o final mais próximo da felicidade.
O aniversário da infanta: Sem comentários.  Foi o que eu menos gostei!  Tadinho do anão.. Ele era tão fofo!
O menino-estrela: Aceitável.  Gostei um pouquinho.
O pescador e sua alma: Dá pra extrair uma moral aí que o amor é melhor que tudo e a perseverança humana é linda e tals, mas na boa, não gostei muito não.

Bem, é isso, gente!
Eu.. sinceridade? Não leria se fosse vocês.  Mas se quiserem, vão em frente!  Porque gostos diferem e isso é inteiramente normal! ^^
Bjkss Pimpa ;)

Ps. Para vocês terem noção do drama, (RELAXEM e leiam até o final do parágrafo antes de surtar) enquanto procurava imagens da capa vi uma foto de um braço cheio de cortes segurando o livro! Como os "cortes" me pareceram feitos de caneta (tenho quase toda certeza), suspeito que seja brincadeira, mas não quis postar aqui... De qualquer jeito, passa bem a ideia do livro..   

4 comentários:

  1. Tenho vontade de ler outras obras de Oscar Wilde desde que terminei O Retrato de Dorian Gray, mas ainda não achei este o perfeito para continuar, rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. kkk' Realmente, gosto não se discute! Eu adorei a mensagem que cada conto trás... O livro é ótimo! ;)

    ResponderExcluir
  3. Comparem todos os contos com o Retrato de Dorian Grey, há muitas conexões ocultas e paradoxos típicos de Wilde. O livro é ótimo e merece uma segunda reflexão, mas pouco importa quem lê, para Wilde o importante é a obra.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...